Filme anti-EUA turco é sucesso de público

Com uma trama abertamente antiamericana, o filme Vale dos Lobos Iraque está lotando as salas de cinema na Turquia. Com orçamento de US$ 10 milhões de dólares, a produção, que estreou no dia 3, é mais cara da história do cinema turco. O herói do filme é o espião Polat Alemdar, que invade o norte do Iraque com um pequeno grupo de homens para vingar a morte de um soldado turco que se suicidou depois de ser preso por americanos. No caminho, o grupo se alia com iraquianos e aniquila um grupo de soldados americanos liderados por um oficial rebelde que se diz enviado de Deus.Humilhação nacionalA obra mistura ficção com alguns fatos históricos. A primeira cena retrata um episódio real: a prisão, em julho de 2003, de soldados das forças especiais turcas por tropas dos Estados Unidos. Eles estavam em Sulaymaniyah, no norte do Iraque, e foram detidos e levados encapuzados pelos americanos, sob a mira de armas.A partir daí, a ação gira em torno de americanos maus contra turcos bonzinhos. Há tropas americanas massacrando civis em um casamento, bombardeios a mesquitas e abusos reais, como a tortura de detentos na prisão de Abu Ghraib. O roteirista, Bahadir Ozdener, afirma que o filme "é uma forma de ação política". Segundo Ozdener, 60% a 70% do que acontece na tela é verdade. "Turquia e Estados Unidos são aliados, mas queremos dizer a dura verdade ao amigo", diz. O filme está atraindo enorme interesse e um debate sobre se ele pode ajudar a reacender o antiamericanismo na Turquia. Num dos maiores cinemas multiplex de Istambul, ele está em exibição em cinco salas diferentes e, assim mesmo, quase todos os ingressos foram vendidos com antecipação. "Voltei para assistir pela segunda vez", diz um estudante. "É antiamericano, mas nós já sabemos o que eles fizeram no Iraque. A realidade é essa. Agora podemos vê-la nas telas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.