Oliver Weiken/Efe
Oliver Weiken/Efe

Filme mostra suposto homem-bomba em ataque a israelenses na Bulgária

Ministro das Relações Exteriores búlgaro disse que é um 'erro' apontar responsáveis agora

estadão.com.br,

19 de julho de 2012 | 10h53

SÓFIA - O ministro das Relações Exteriores búlgaro, Nikolay Mladenov, disse nesta quinta-feira, 19, que é um "erro" colocar a responsabilidade do ataque terrorista a um ônibus de turismo de Israel na quarta-feira, 18, em determinados países ou organizações específicas, de acordo com o Haaretz. Enquanto isso, imagens da câmera de segurança - também divulgadas pelo jornal - revelaram uma pessoa suspeita de ter cometido o atentado suicida.

Veja também:

linkBrasil condena atentado contra turistas israelenses na Bulgária

linkNetanyahu responsabiliza Irã por ataque contra israelenses na Bulgária

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

"Estamos apenas no início da investigação e é errado tirar conclusões precipitadas", disse Mladenov. Segundo o ministro, em reportagem do Haaretz, a Bulgária tem "excelente cooperação com as forças de segurança israelenses em assuntos relacionados com a investigação."

Mladenov acrescentou que os países "irão investigar até descobrir quem está por trás do ataque. Nesta fase tudo o que sabemos sobre a identidade do culpado é a aparência externa e uma cópia de uma carteira de motorista falsificada de Michigan."

Imagens

As imagens mostram um homem esguio, de cabelo comprido, usando um boné e vestindo uma bermuda xadrez, com uma carteira de motorista do Estado norte-americano de Michigan falsa. Segundo autoridades da Bulgária, ele teria realizado o ataque suicida no ônibus cheio de turistas israelenses.

Veja vídeo:

Segundo o Brigadeiro-General e Chefe do Corpo Médico, Doutor Itzik Kreis, dois aviões foram enviados acompanhados por médicos e pela equipe de busca e resgate da força aérea israelense, a fim de prestar assistência médica a todos os feridos.

Kreis afirmou que um dos aviões já desembarcaram em Israel e o segundo ainda está na Bulgária. Os feridos serão transferidos para hospitais do país. Ainda não há número exato de civis feridos.

Irã

Israel mantém o discurso que o ataque foi preparado pelo grupo guerrilheiro libanês Hezbollah, que conta com o apoio do Irã, e ameaçou retaliar. Sete pessoas morreram no atentado ocorrido na quarta-feira: cinco israelenses, o motorista búlgaro e o terrorista.

Nenhuma organização assumiu a responsabilidade pelo ataque. A explosão ocorreu logo após os israelenses terem entrado no ônibus que saia do aeroporto da cidade de Burgas para o hotel em que iriam se hospedar.

"Todos os sinais apontam para o Irã", disse o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. "Este é um ataque terrorista iraniano que está espalhando-se pelo mundo. Israel vai reagir com força ao terror do Irã", ameaçou ele. A TV estatal iraniana chamou de as acusações de "ridículas" e "sensacionalistas". O governo israelense culpa os iranianos por uma série de ataques nos últimos meses contra cidadãos israelense em todo o mundo.

Com Agências de Notícias

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.