AP
AP

Fim da guerra das ilhas Malvinas completa 30 anos nesta quinta-feira

Segundo antigo porta-voz de Margaret Thatcher, a "Dama de Ferro" pensou nas mães argentinas quando terminou conflito

Efe,

14 de junho de 2012 | 07h53

LONDRES - A ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher pensou nas mães argentinas na noite em que terminou a guerra das ilhas Malvinas, conflito que se encerrou há exatos 30 anos nesta quinta-feira, 14, segundo explicou o antigo porta-voz da "Dama de Ferro".

Veja também:

linkPremier britânico pede que Argentina escute moradores das Malvinas

blog Kelpers farão referendo em 2013 sobre status político das Malvinas

tabela ESPECIAL: Guerra das Malvinas

"Estou aliviada porque poderei ir dormir nesta noite sem me preocupar por esses terríveis Exocets (mísseis argentinos). E tenho certeza de que as mães argentinas se sentirão da mesma maneira", disse a primeira-ministra conservadora na noite de 14 de junho de 1982 para Ian Kydd.

O antigo porta-voz fez as revelações hoje para a "Rádio 5 Live" da cadeia "BBC" em função do trigésimo aniversário do fim da guerra. Kydd admitiu hoje que se surpreendeu com a referência de Thatcher sobre as mães argentinas, que foi feita num momento em que estavam sozinhos na residência oficial de Downing Street.

O porta-voz disse que após o anúncio do fim da guerra não sabia o que falar para Thatcher e apenas comentou: "Você deve estar muito aliviada de que tudo terminou. É um momento especial".

Foi neste momento que a primeira-ministra respondeu sobre as mães argentinas. Kydd explicou que não esperava uma resposta tão pessoal da "Dama de Ferro", que hoje está com 86 anos.

"É por isso que isto ficou gravado em minha mente", afirmou o ex-porta-voz, um diplomata aposentado de 64 anos que trabalhou com Margaret Thatcher entre 1981 e 1983.

"Acho que ela sentia muito pelos jovens, soldados, os militares que estavam ali. Escreveu cartas pessoais para as famílias de todos os britânicos que perderam a vida no conflito", acrescentou.

A guerra das Malvinas matou 649 argentinos e 255 britânicos.

 

 
Tudo o que sabemos sobre:
Guerra das MalvinasMargaret Thatcher

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.