Fim da ocupação é única solução para conflito, diz enviado de Arafat

O chefe da delegação palestina enviada para conversar com o governo Bush, Saeb Erekat, rejeitou nesta quarta-feira os esforços norte-americanos para encontrar líderes alternativos a Yasser Arafat, presidente eleito da Autoridade Palestina. "Isto é inaceitável. A alternativa a ele é o caos", disse Erekat. O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, defende a saída de Arafat. Ele acusa o líder palestino de não conseguir conter os atentados contra Israel. Bush pede ainda "reformas democráticas" como pré-requisito para o estabelecimento de um Estado palestino independente dentro de três anos. "Vocês acham que eu vim de onde? De Marte? Eu faço parte do governo do presidente Arafat", perguntou Erekat. Ele fez questão de salientar que o atual governo palestino foi eleito pelo povo. "Espero que esta escolha continue a cargo do povo palestino e não de outros." Em um provocação contra o secretário de Defesa dos EUA, Donald H. Rumsfeld, que acusa a Autoridade Palestina de estar envolvida com o "terrorismo" e duvida que Israel entregue territórios aos palestinos, Erekat comentou que as declarações de Rumsfeld contradizem as de Bush. "Eu achei que existisse apenas uma política externa norte-americana", disse Erekat. Nas reuniões com Erekat e outros dois ministros palestinos, Washington procura obter garantias de reformas políticas e de que haverá um cerco aos militantes palestinos. As reuniões de quinta-feira com o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, e com a conselheira de Segurança Nacional de Bush, Condoleezza Rice, deverão resultar numa revisão já em andamento da posição do governo norte-americano sobre os atentados contra Israel e as formas de contê-los. Os encontros também poderão acelerar a assistência a projetos palestinos. Os três ministros, todos indicados por Arafat numa reforma ministerial promovida em junho, se encontrarão amanhã com o vice-diretor da Agência Norte-Americana de Desenvolvimento Internacional (USAID), Fred Schieck. Erekat é acompanhado pelos ministros de Economia, Maher el-Masri, e de Interior, Abdel Raza Yehiyeh.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.