Fim de cerco a Arafat divide gabinete israelense

O ministro da Infra-Estrutura de Israel, Avigdor Lieberman, ameaçou hoje renunciar ao gabinete de coalizão caso este aprove o fim do cerco ao líder palestino Yasser Arafat, que há cerca de três meses está confinado em umquartel em Hamallah, na Cisjordânia. A decisão deverá ser tomadadurante uma reunião semanal do gabinete prevista para amanhã.A ameaça foi feita enquanto se tentava reduzir as tensões coma retomada das negociações entre israelenses e palestinos. No entanto, apesar dos esforços, tropas israelenses mataram um palestino na cidade de Halhul, nas redondezas de Hebron. Os soldados abriram fogo contra um homem que corria em sua direção gritando "Allahu akbar" (Deus é grande), uma frase islâmica usada geralmente por atacantes suicidas. Posteriormente, descobriu-se que o palestino assassinado não portava armas nem explosivos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.