Finanças da Al-Qaeda continuam firmes, diz especialista

Os recursos financeiros da rede Al-Qaeda continuam em grande parte intactos, e milhões de dólares espalhados em contas em várias partes do mundo ainda são movimentados por membros do grupo terrorista. A avaliação é de Jean Charles Brisard, um dos principais advogados das famílias das vítimas do 11 de setembro e ex-colaborador do governo francês para temas relacionados ao terrorismo.Segundo investigações feitas por ele nos últimos dois anos, Al-Qaeda recebeu entre US$ 300 milhões e US$ 500 milhões desde 1988, ano de sua fundação, por meio de supostas doações. Brisard, que desde o início deste mês transferiu seu escritório de Paris para Lausanne, na Suíça, garante a jornalistas: "A grande parte das contas do grupo terrorista ainda não foi bloqueada pelos governos".O francês acredita que apenas 20% das contas relacionadas ao grupo estão congeladas. O restante, por não ter ficado claro a relação entre os donos das contas e Al-Qaeda, continuam sendo movimentado livremente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.