Finlândia: Oposição vence eleições parlamentares

O líder do oposicionista Partido de Centro, Juha Sipila, declarou que seu partido foi o vencedor das eleições parlamentares deste domingo na Finlândia. Ele se torna o novo primeiro-ministro do país no comando de uma nova coligação de governo.

Estadão Conteúdo

19 de abril de 2015 | 18h45

Sipila, um empresário milionário que entrou na política há quatro anos, disse a seus eleitores na sede do partido que "parece que nós vencemos a eleição".

Já o atual primeiro-ministro, o conservador Alexander Stubb, admitiu a derrota. "É fato que o Partido de Centro venceu as eleições", afirmou. "Agora temos que nos concentrar em levar a Finlândia de volta ao caminho do crescimento", completou.

A campanha foi dominada por temas econômicos em meio a uma recessão de três anos, com embates sobre desemprego, corte de benefícios e o crescimento da dívida nacional.

Stubb defendeu cortes de gastos de ? 6 bilhões nos próximos quatro anos, mas Sipila fez dura oposição à medida, dizendo que apenas metade desse montante seria suficiente.

Com 96% dos votos já apurados, os centristas obtiveram 49 assentos do total de 200 no Parlamento, um crescimento de 14% ante as eleições de quatro anos atrás.

O populista e nacionalista Partido dos Finlandeses, que abalou a política finlandesa com ganhos massivos há quatro anos e defende a saída da Grécia da Zona do Euro, foi o segundo com maior número de assentos: 38 no total, um a menos do que em 2011.

O Partido da Coligação Nacional, do primeiro-ministro Alexander Stubb, conquistou 37 assentos, sete a menos do que tinha anteriormente, e foi seguido pelos aliados Social Democratas, com 34 assentos, oito a menos do que na eleição anterior.

Sipila afirmou que ele conversaria com os líderes de três outros partidos na segunda-feira, acrescentando que o programa político dos partidos de coalizão do governo é mais importante do que o resultado da eleição. "Confiança entre os futuros partidos do governo é o fator mais importante", disse, afirmando que não iria elaborar sobre possíveis aliados.

O vencedor declarou ainda que não haverá mudanças na postura da Finlândia sobre a Grécia. A Finlândia tem descartado grandes concessões a Grécia. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Finlândiaeleiçõesoposição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.