Finlândia rejeita extradição de suspeito de genocídio

O governo da Finlândia anunciou hoje que não extraditará um ruandês suspeito de participação em genocídio em seu país natal por considerar que ele não receberá um julgamento justo. O Ministério da Justiça da Finlândia alegou que a posição adotada hoje baseia-se em uma decisão do Tribunal Penal Internacional (TPI) por meio da qual foi vetada a transferência de três casos similares a cortes de Ruanda.O suspeito de 57 anos de idade, cuja identidade não foi revelada, está sob custódia da polícia finlandesa desde abril de 2007. Suspeito de genocídio, crimes contra a humanidade e filiação a organização criminosa, o ruandês poderá ser processado na Finlândia caso a promotoria pública assim decida. A previsão é de que essa decisão seja tomada ainda este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.