Fisher: Juros seguirão baixos com inflação abaixo de 2%

O presidente do Federal Reserve de Dallas, Richard Fisher, disse hoje que apoia o fim do programa de estímulos do banco central norte-americano neste ano, acrescentando que é bastante provável que as taxas de juros continuem bem baixas por mais algum tempo.

AE, Agência Estado

09 Maio 2014 | 13h53

"Há liquidez abundante para financiar a expansão econômica e o (Comitê Federal de Mercado Aberto - Fomc) vai garantir que continue sendo acessível enquanto a perspectiva de inflação acima da meta de 2% continuar em suspenso", disse Fisher, em texto de discurso preparado para ser feito em Nova Orleans.

Fisher, membro votante nas reuniões do Fomc neste ano, é um forte crítico da política de estímulos do Fed, que tem se baseado em compras mensais de bônus numa tentativa de reduzir os custos do crédito para estimular o crescimento e reduzir o desemprego.

Encorajado por sinais de melhora econômica, o Fed vem reduzindo o ritmo de seu programa de compras, com o valor mensal hoje em US$ 45 bilhões, e a expectativa é que os estímulos sejam totalmente retirados antes do fim do ano.

No discurso, Fisher reiterou sua oposição às compras de ativos, que ele classificou como um "erro", mas disse apoiar o atual ritmo de redução do programa. Em suas últimas reuniões, o Fed vem cortando suas compras mensais em US$ 10 bilhões por vez.

"Nós alimentamos os negócios e os mercados de risco de maneira tão ampla que eles ficaram de certa forma viciados no nosso atendimento de suas necessidades", disse Fisher. Diante disso, "a trajetória prudente e a melhor forma de prevenir o início de espasmos no mercado e psicose por abstinência é reduzir gradualmente e, eventualmente, eliminar o fluxo de liquidez excessiva que (o Fed) vem suprindo", acrescentou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Eua juros fed inflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.