Físico é detido na França por suposta ligação com Al-Qaeda

Pesquisador atuava na Organização Europeia para Pesquisa Nuclear.

BBC Brasil, BBC

09 de outubro de 2009 | 19h09

A polícia francesa afirmou nesta sexta-feira que prendeu um pesquisador da Organização Europeia para Pesquisa Nuclear (Cern, na sigla em francês) por suspeitas de ligação com a rede extremista Al-Qaeda.

O pesquisador de 32 anos, descendente de argelinos, e seu irmão de 25 anos foram presos na quinta-feira no sudeste do país.

A polícia diz acreditar que o pesquisador estava em contato com organizações ligadas à Al-Qaeda do norte da África e que planejava ataques em solo francês.

"Ele não era um empregado da Cern e fazia sua pesquisa como contratado de um instituto externo. Ele não entrou em contato com nada que pudesse ser usado para terrorismo", disse um comunicado da organização, que afirmou estar ajudando a polícia nas investigações.

Foram confiscados dois computadores, três discos rígidos e vários pen drives que estavam na casa dos irmãos.

A Al-Qaeda no norte da África emergiu em 2007 quando a organização militante argelina Grupo Salafista para Oração e Combate anunciou que estava se alinhando à rede de Osama Bin Laden.

O grupo assumiu a responsabilidade por um ataque suicida na embaixada francesa na Mauritânia em agosto que feriu três pessoas.

A Cern, uma organização civil apoiada por governos de 20 países, é o maior laboratório europeu para o estudo de física subatômica. Ele fica na fronteira entre França e Suíça. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
françaal qaedacernargélia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.