Físicos ocupavam cargos-chave no programa atômico

As vítimas dos ataques de ontem - Majid Shahriari, que acabou morto, e Fereydoun Abbasi, que ficou ferido - são dois nomes de grande importância para a ciência nuclear iraniana. Abbasi era da Guarda Revolucionária e foi professor da Universidade Imã Hussein, mantida pela força pretoriana do regime. Recebeu elogios do presidente Mahmoud Ahmadinejad três anos atrás, sendo condecorado acadêmico do ano no Irã.

Cenário: Julian Borger, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2010 | 00h00

Ele é nominalmente citado na resolução 1747 do Conselho de Segurança da ONU por seu "envolvimento em atividades relacionadas a mísseis balísticos ou nucleares". O texto o descreve como um "cientista importante no Ministério da Defesa e nas Forças Armadas, ligado ao Instituto de Física Aplicada e parceiro de trabalho de Mohsen Fakhrizadeh-Mahabadi" - considerado pelos serviços ocidentais de espionagem como o encarregado do programa iraniano de armas nucleares.

Parece que alguém está tentando eliminar nomes que constam numa lista, possivelmente agindo conforme os alvos se tornam vulneráveis. O responsável pode ser qualquer parte interessada em prejudicar a capacidade nuclear iraniana. De um ponto de vista completamente insensível, pouco importa se os alvos são figuras de importância central ou não. Professores universitários são os responsáveis pela formação da próxima geração de cientistas nucleares iranianos, e também uma fonte de experiência à qual o programa nuclear do Estado pode recorrer quando necessário. TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

É ANALISTA DO JORNAL "THE GUARDIAN"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.