Fita de áudio com voz de Al-Zawahri é levada ao ar

Uma gravação de áudio atribuída ao número dois da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahri, foi colocada em um site islâmico nesta sexta-feira. Nela ouve-se a voz do braço direito de Bin Laden lendo uma oração homenageando os "mártires da guerra santa" no Afeganistão, Palestina e qualquer outro lugar do mundo. Não há indicação de quando a gravação foi feita. A fita não faz menções à respeito do bombardeio americano de 13 de janeiro, no Paquistão, que teve como objetivo eliminar Al-Zawahri. De acordo com informações do governo da província paquistanesa atingida, quatro líderes da Al-Qaeda foram mortos no ataque. Não se sabe se Al-Zawahri estava entre os mortos. Se a fita for nova e autêntica, este o primeiro anúncio de al-Zawahri desde o ataque.A fita de 17 minutos foi colocada em um site de militantes islâmicos um dia após o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, ter mandado sua primeira fita de vídeo em mais de um ano, ameaçando os EUA e oferecendo uma trégua aos americanos. Al-Zawahri dedica a oração que lê em sua fita para "todos os irmãos muçulmanos em todo o mundo, aos irmãos mujahedeen (guerreiros sagrados) que estão nas fronteiras fortificadas contra os cruzados na Palestina e Iraque, Afeganistão e Chechênia, aos leões caçando as gangues de cruzados, conseguindo reforços nas montanhas do Afeganistão, em seus vales e em sua capital ferida, Cabul".Al-Zawahri disse que o poema o fazia lembrar dos colegas que morreram devido à Jihad, mencionando vários por seus nomes, mas não incluiu nenhum dos líderes que estavam presentes no bombardeio americano.Ainda não foi possível descobrir a data da gravação. A rede de notícias árabe Al-Arabiya, que levou ao ar uma parte da fita, disse que a gravação é recente mas não deu provas para que comprovasse tal afirmação.O bombardeio americano do dia 13 de janeiro destruiu um prédio na vila paquistanesa de Damadola, onde autoridades paquistanesas acreditavam que havia líderes da Al-Qaeda reunidos para planejar ataques no Afeganistão e no Paquistão. Treze moradores do vilarejo foram mortos no ataque, enfurecendo muitos paquistaneses. Autoridades acreditam que no mínimo quatro militantes estrangeiros tenham morrido também, incluindo um perito em explosivos e armas químicas da Al-Qaeda, o sobrinho de Al-Zawahri.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.