Victor J. Blue/The New York Times
Victor J. Blue/The New York Times

Florence continua trajetória pelo sudeste dos EUA neste sábado

Tempestade tropical segue em direção à Carolina do Sul com ventos de até 100 km/h; cinco pessoas morreram e mais de 900 mil residências estão sem luz na região

O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2018 | 02h34

WASHINGTON, Carolina do Norte (EUA) - Após atingir solo americano na manhã de sexta-feira, 14, a tempestade tropical Florence continua sua trajetória pelo sudeste americano neste sábado, 15, deixando para trás um rastro de devastação nas Carolinas do Norte e do Sul. Pelo menos cinco pessoas morreram por consequências do desastre e mais de 900 mil residências e lojas estão sem energia elétrica.

Na região costeira da Carolina do Norte, os ventos de até 150 km/h derrubaram árvores e estátuas, danificaram edificações e destruíram partes das estradas estaduais. Até o momento, cinco pessoas morreram por consequências do Florence. As primeira vítimas foram uma mãe e um bebê após uma árvore desabar sobre a casa em que moravam, em Wilmington. O pai ficou ferido.

Uma mulher sofreu uma parada cardíaca e morreu no condado de Pender antes da equipe de emergência, presa na estrada devido à queda de árvores, conseguisse resgatá-la a tempo. Em Lenoir, dois homens morreram - um ao tentar instalar um gerador elétrico e outro ao sair de casa para verificar os próprios cachorros de caça na rua.

Em New Bern, cerca de 500 moradores ficaram ilhados em suas casas, carros e telhados. Pelo menos 360 foram resgatados e 140 ainda aguardam a chegada da assistência neste sábado. Pelo menos 930 mil residências e lojas continuam sem energia elétrica na região atingida pelo Florence.

Após estradas serem interditadas, o governador da Carolina do Norte, Roy Cooper, alertou aos moradores a não retornarem para casa nos próximos dias.

"Se a tempestade não chegou até você, ela chegará", disse. 

Especialistas dizem que ainda é cedo para estimar os danos causados pelo Florence, mas Gregory Daco, da Oxford Economics, estima que prejuízos podem chegar a US$ 30 a US$40 bilhões, o que colocaria a tempestade como uma das dez mais destrutivas que atingiram os Estados Unidos.

No fim de sexta, o Florence foi rebaixado à categoria de tempestade tropical após a velocidade dos ventos caírem para 100 km/h. Apesar disso, autoridades estaduais e federais alertam para as fortes chuvas e inundações. O condado de Horry, na Carolina do Sul, suspendeu temporariamente as atividades das equipes de resgate.

"Nós reduzidos à metade as respostas de emergência até as condições da tempestade permitirem uma ação segura", disse o diretor de segurança pública de North Myrtle Beach, afirmando que os ventos colocam em risco à vida das equipes de resgate. "Nós devemos avisar que muito provavelmente não iremos conseguir ajudar você. Nós faremos tudo que pudermos"

Meteorologistas preveem mais inundações neste sábado em regiões ao leste da Carolina do Norte enquanto o Florence segue até o oeste, em direção à Carolina do Sul. Os rios Cape Fear e Lumber, nas proximidades da divisa entre os Estados, correm risco de alagar, provocando inundações potencialmente catastróficas na região. //THE NEW YORK TIMES, ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.