Flórida prepara-se para prévias; democratas brigam por delegados

Os pré-candidatos republicanos àPresidência dos EUA dirigiram-se todos para a Flórida atrás devotos, mas uma disputa travada entre os democratas manteve-osfora do Estado ou reduziu a presença deles nessa região. Enquanto o quarto Estado mais populoso dos Estados Unidosprepara-se para realizar suas prévias na terça-feira, os queconcorrem à vaga do Partido Democrata nas eleições das quaissairá o sucessor do presidente George W. Bush, do PartidoRepublicano, apostam que uma desavença responsável por calar osdemocratas da Flórida acabará por ser esquecida. "Acho que isso irá acontecer", afirmou a presidente doPartido Democrata naquele Estado, Karen Thurman. "Nossas vozescontam. Nós vamos ser ouvidos e vamos votar." No complicado processo de escolha dos candidatos de cadalegenda para as eleições de novembro, os partidos fixam suasregras e decidem quem vota primeiro na corrida travada em cadaEstado. A Flórida furou a fila ao antecipar suas primárias parao dia 29 de janeiro, na esperança de ter mais peso na escolhados candidatos. O Comitê Nacional Republicano puniu o Estado cortando pelametade, para 57, o número de delegados que a Flórida enviarápara a convenção nacional da legenda, que ocorre em setembro eque escolherá o candidato do partido. Mas os pré-candidatos republicanos mobilizaram-se paraconquistar o Estado como se nada tivesse acontecido, aparecendoem comícios, anúncios de TV e peças de propaganda enviadas pelocorreio para os eleitores em potencial. O Comitê Nacional Democrata impôs uma pena ainda maisrigorosa, cancelando a participação de todos os 210 delegadosna convenção do partido, marcada para ocorrer em agosto. E ainda conseguiu arrancar dos pré-candidatos a promessa deque não fariam campanha no Estado, apesar de o nome delesconstar das cédulas a serem usadas nas prévias de terça-feira. Os delegados que representam todos os 50 Estados eterritórios dos EUA costumam escolher os seus candidatos apresidente e a vice nas convenções. Na semana passada, a senadora Hillary Clinton mudou deposição e defendeu que os delegados democratas da Flórida e deMichigan, outro Estado que antecipou suas prévias e cujosrepresentantes também foram vetados pela direção nacional dopartido, sejam reinstalados e ouvidos. Nesses Estados, Hillary poderia obter o apoio de quasetodos os delegados na convenção de escolha de candidato -- maisde 350 no total. Resistindo a desperdiçar a chance de obter apoio naFlórida, a senadora afirmou no domingo que visitaria o Estadona terça-feira, mesmo depois do fechamento das urnas. Na Flórida, os líderes dos dois partidos confiam napossibilidade de os comitês nacionais voltarem atrás a fim denão desagradar aos eleitores do Estado, cujo apoio seráfundamental para as eleições de novembro. "Haverá uma relutância da parte dos candidatos em alienarema Flórida punindo-a", disse Erin VanSickle, porta-voz doPartido Republicano nesse Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.