Flórida reforma sistema de votação

O Legislativo estadual da Flórida aprovou nesta sexta-feira uma reforma que elimina o sistema de sufrágio por perfuração de cartões - o que impedirá a repetição do que ocorreu no ano 2000 e que provocou um atraso de 36 dias na proclcamação dos resultados das eleições presidenciais. A medida, que custará US$ 32 milhões, será agora submetida à sanção do governador da Flórida, Jeb Bush, que já disse que a aprovará provavelmente na próxima semana. A reforma do sistema eleitoral foi aprovada por unanimidade pelos 120 membros da Câmara de Representantes estadual, três horas depois de ela ter recebido a aprovação do Senado estadual por 38 votos contra 2. A Flórida - estado que foi alvo de zombaria da imprensa internacional por ter feito a recontagem manual dos votos em novembro de 2000 - acaba de aprovar a mais significativa reforma eleitoral do país. A reforma obrigará todas as seções eleitorais a instituírem o sistema de leitura ótica antes das eleições primárias de 2002. A nova legislação prevê uma recontagem automática dos sufrágios se a margem de vitória em qualquer eleição for igual ou menor do que 0,5% dos votos, e a recontagem manual apenas em casos minuciosamente especificados. Na contagem, as novas regras levarão em conta a intenção do eleitor. O governador e os legisladores estaduais propuseram a reforma há dois meses, logo após a abertura dos trabalhos do Legislativo, mas chegaram a um acordo sobre o novo projeto há apenas dois dias. Os tropeços da eleição do presidente George W. Bush levaram seu irmão Jeb a apressar a reforma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.