FMI anuncia assistência de US$ 100 milhões para Haiti

O diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, disse hoje que a organização vai fornecer US$ 100 milhões em assistência para o Haiti. Segundo Strauss-Kahn, o FMI está trabalhando com outras agências internacionais para mobilizar assistência o mais rápido possível para ajudar o Haiti nas tarefas de reconstrução.

AE-AP, Agencia Estado

14 de janeiro de 2010 | 14h59

Ele disse também que o fundo de emergência irá para um programa do FMI já existente para auxiliar a ilha. Ontem, o Banco Mundial informou que vai doar US$ 100 milhões para o país caribenho.

Ação coordenada da UE

A Espanha, que ocupa a presidência rotativa da União Europeia (UE), pediu hoje que os 27 membros do bloco participem de uma ação coordenada para ajudar os sobreviventes do terremoto que atingiu o Haiti anteontem. "Queremos formular um plano de ajuda com os diferentes ministérios de desenvolvimento, e que seja o mais estruturado possível," disse o primeiro-ministro da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero.

"Primeiro, nós precisamos coordenar as ações de socorro com o presidente da Comissão Europeia", afirmou Zapatero. "Além disso, o Ministério de Relações Exteriores da Espanha está se coordenando com o representante de políticas externas da UE".

O líder espanhol não rejeitou a possibilidade de enviar ajuda militar europeia "se isso for necessário e fizer sentido". Um grupo de soldados espanhóis já está no Haiti para avaliar a situação. A Espanha enviou hoje o quarto avião para a ilha, e um quinto já está aguardando para decolar com mais ajuda para os haitianos, disse Zapatero.

Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotoFMIUEajuda humanitária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.