EFE/ Rayner Pe
EFE/ Rayner Pe

FMI nega US$ 5 bilhões pedidos pela Venezuela para combater o coronavírus

Segundo Nicolás Maduro, recurso seria usado para fortalecer os sistemas de detecção e resposta diante da pandemia; instituição financeira alegou 'falta de clareza' envolvendo o reconhecimento internacional do país

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2020 | 06h00

CARACAS - O Fundo Monetário Internacional (FMI) negou o pedido de ajuda da Venezuela para lidar com o novo coronavírus. Nessa terça-feira, 17, o Caracas havia feito uma solicitação de US$ 5 bilhões para enfrentar a pandemia.

Em carta, o presidente do país, Nicolás Maduro, pediu ao FMI que considerasse conceder "um mecanismo de financiamento" por 5 bilhões de dólares do fundo de emergência do Instrumento de Financiamento Rápido.

No entanto, o FMI não autorizou a liberação da verba. De acordo com um funcionário da instituição financeira ouvido pela agência francesa AFP, a negativa se deu pela "falta de clareza" envolvendo o reconhecimento internacional do governo da Venezuela, o que não permitiria uma análise da solicitação.

Segundo Maduro, os recursos contribuiriam significativamente para fortalecer os sistemas de detecção e resposta diante da pandemia.

Esse foi o primeiro pedido de ajuda solicitado por Maduro ao FMI, e o primeiro da Venezuela desde 2001. A última visita de uma missão técnica da agência a Caracas foi em 2004. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.