FMI se diz pronto para apoiar Egito após as eleições

O Fundo Monetário Internacional (FMI) se diz pronto para apoiar o Egito durante a transição do país para a democracia e espera manter laços com a nação após as eleições presidenciais, de acordo com Gerry Rice, diretor do departamento de relações exteriores do órgão. "Temos tido discussões construtivas e esperamos avançar nessas discussões uma vez que a eleição for concluída", afirmou em uma coletiva de imprensa, na última quinta-feira, em Washington, segundo uma transcrição postada no site do FMI.

RENAN CARREIRA, Agência Estado

17 de junho de 2012 | 13h03

Os egípcios começaram a ir às urnas no sábado, primeiro dos dois dias marcados para a realização do segundo turno da eleição presidencial. A escolha para suceder o presidente Hosni Mubarak, deposto após levante popular em 2011, se dá entre o ex-primeiro-ministro Ahmed Shafiq e o candidato da Irmandade Muçulmana, Mohammed Mursi. O resultado oficial do segundo turno deve ser divulgado no próximo dia 21. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
EgitoeleiçõesFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.