GABRIELLA DEMCZUK/NYT
GABRIELLA DEMCZUK/NYT

FMI vai emprestar US$ 127 mi a países afetados por ebola

Os recursos vão ajudar os governos de Guiné, Libéria e Serra Leoa - que tiveram sua economia prejudicada pelo surto da doença - a financiar os crescentes custos com saúde e segurança

Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2014 | 17h49

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou nesta quarta-feira que está se preparando para conceder empréstimos, sem juros, no valor de US$ 127 milhões para os três países mais afetados pela epidemia de ebola. Os recursos vão ajudar os governos de Guiné, Libéria e Serra Leoa - que tiveram sua economia prejudicada pelo surto da doença - a financiar os crescentes custos com saúde e segurança.

Segundo o FMI, os empréstimos vão cobrir boa parte da necessidade dos governos nos próximos seis a nove meses. Segundo estimativas, os países precisam de cerca de US$ 300 milhões. A equipe do FMI pediu a aprovação dos empréstimos ao seu conselho, que deverá votar a questão no início próximo mês.

Os US$ 127 milhões serão adicionados aos empréstimos que o FMI já concedeu aos três países.

O Banco Mundial aprovou na terça-feira o envio de US$ 105 milhões para financiar os esforços para conter o ebola. Estima-se que o vírus já fez ao menos 2.400 vítimas fatais, o maior surto da doença já registrado.

Além disso, a epidemia tem causado sérios danos econômicos. À medida que o vírus se espalha, agricultores deixam o campo, lojas fecham e o transporte entre as cidades é interrompido. Segundo o Banco Mundial, o surto de ebola vai reduzir o crescimento da economia de Guiné para 2,4%, ante previsão anterior de expansão de 4,5%. O crescimento econômico na Libéria vai cair para 2,5%, de 5,9% da projeção anterior, e de Serra Leoa cairá para 8%, de expansão de 11,3% prevista anteriormente. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
FMIebolaSerra LeoaGuinéLibéria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.