Foguete mata ao menos 12 civis no centro da Síria, diz grupo opositor

Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, duas crianças e duas mulheres estão entre os mortos

estadão.com.br,

17 de abril de 2013 | 12h10

BEIRUTE - Um foguete disparado por tropas do governo sírio causou a morte de ao menos 12 pessoas, incluindo mulheres e crianças, em Bweida, região central do país, afirma o Observatório Sírio para os Direitos Humanos. "O número de pessoas mortas por um foguete disparado pelo Exército chega a 12, sendo um menino e uma menina, duas mulheres e oito homens."

Ao mesmo tempo, três combatentes rebeldes morreram perto de Abel, onde o "regime utilizou aviões de combate e foguetes", acrescentou a organização, sediada em Londres, de acordo com a agência France Press. Os aviões também teriam atacada regiões de Alepo.

"O Exército está tentando isolar os rebeldes", disse o diretor do Observatório, Rami Abdel Rahman, para a AFP.

Segundo o jornal oficial Al Watan, as forças armadas sírias tentam avançar em áreas controladas pelos rebeldes em Alepo. "O Exército fez progressos na abertura da principal rota de abastecimento nos aeroportos de Nayrab e Alepo", informa.

De acordo com a ONU, mais de 70 mil pessoas já morreram desde o início da guerra civil no país, há dois anos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.