Foguete norte-coreano explode após lançamento

Ignorando as ameaças internacionais e eventuais sanções, a Coreia do Norte lançou hoje às 7h39 (19h39 de ontem, horário de Brasília) o foguete Unha-3. EUA, Japão e Coreia do Sul disseram que o disparo fracassou - o artefato teria explodido um minuto depois de deixar a base de Tongchang-ri, perto da fronteira com a China.

CLÁUDIA TREVISAN E LISANDRA PARAGUASSU, ENVIADAS ESPECIAIS, Agência Estado

12 de abril de 2012 | 22h51

Até as 9h30, os norte-coreanos não haviam se pronunciado oficialmente, mas anunciaram que dariam uma entrevista coletiva.

"Confirmamos que um objeto foi lançado e caiu no oceano após voar pouco mais de um minuto", afirmou o ministro da Defesa do Japão, Naiki Tanaka, sem comentar se o artefato era ou não um foguete. EUA e Coreia do Sul também registraram o lançamento e a queda de um "objeto", mas não souberam dizer o que deu errado na operação.

Os norte-coreanos haviam colocado um telão na sala de imprensa montada para jornalistas estrangeiros, mas não exibiram imagens do lançamento. Uma coletiva de imprensa foi anunciada, mas não ocorreu. Durante a manhã, a TV estatal passava um programa sobre canções populares locais.

Os Estados Unidos e seus aliados na região sustentam que o disparo era na verdade um teste com míssil balístico, mas Pyongyang afirma que o foguete levava um satélite de observação terrestre.

A Coreia do Norte armou uma enorme operação de relações públicas para tentar convencer o mundo de que não faria o lançamento de um míssil. Jornalistas estrangeiros foram levados à estação de lançamento de satélites e ao centro de controle em Pyongyang. Mas o momento mais importante do lançamento não foi apresentado, o que levanta suspeitas sobre a natureza da operação.

A decisão de levar adiante o lançamento apesar da quase unânime oposição internacional poderá aumentar ainda mais o isolamento da Coreia do Norte. Nem mesmo a China, principal aliada do país, enviou observadores para acompanhar o disparo do Unha-3.

O lançamento do foguete levou à suspensão da doação de 240.000 toneladas de alimentos que os norte-americanos haviam prometido no fim de fevereiro em troca do compromisso do regime norte-coreano de suspender seu programa nuclear e os disparos de artefatos que usem tecnologia de mísseis balísticos - os dois primeiros estágios do Unha-3 têm origem no míssil Taepodong-2.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do Nortefoguete

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.