Foguetes lançados de Gaza intensificam escalada entre Israel e Hamas

Artefatos atingiram cidade israelense de Beer Sheva; quatro pessoas ficaram feridas.

Guila Flint, BBC

23 de março de 2011 | 08h27

Israelenses se protegem de ataque na cidade de Beer Sheva

Dois foguetes lançados a partir da Faixa de Gaza atingiram nesta quarta-feira a cidade de Beer Sheva, no sul de Israel, após oito palestinos terem sido mortos por bombardeios israelenses.

A prefeitura de Beer Sheva ordenou o fechamento de todas as escolas depois que os foguetes atingiram a cidade, causando pânico na população.

Quatro pessoas ficaram levemente feridas. Um dos artefatos causou danos materiais em um bairro residencial.

Os foguetes, lançados por militantes palestinos da Faixa de Gaza, são vistos como uma escalada no potencial dos armamentos utilizados contra Israel.

Os foguetes palestinos demonstram ter um maior poder de alcance, já que antes eles atingiam apenas as cidades mais próximas de Gaza, como Sderot.

Retaliação

O grupo Jihad Islâmico reivindicou a autoria dos ataques e declarou que eles são uma retaliação aos ataques israelenses desta terça-feira, que mataram oito palestinos, inclusive duas crianças.

"Esta é apenas uma reação preliminar aos crimes do sionismo contra nosso povo em Gaza", afirmou o grupo.

Outro grupo palestino, o Comitê de Resistência Popular, assumiu a autoria de mais oito morteiros que foram lançados contra o sul de Israel.

A nova onda de violência é considerada a mais grave desde a "Operação Chumbo Fundido" - a ofensiva israelense à Faixa de Gaza, de dezembro de 2008 a janeiro de 2009, que deixou cerca de 1,4 mil mortos do lado palestino e 13 do lado israelense.

O vice-primeiro-ministro de Israel, Silvan Shalom, afirmou que se a violência continuar, "não teremos alternativa, exceto uma segunda operação Chumbo Fundido".

Nova onda

Depois de 26 meses de uma relativa trégua entre Israel e os grupos militantes palestinos da Faixa de Gaza, a nova onda de violência teve início na terça-feira da semana passada, quando dois membros importantes do braço armado do Hamas foram mortos por um bombardeio israelense.

O analista militar do canal 10 da TV israelense, Alon Ben David, apontou aquele momento como o início da nova escalada e afirmou que o contra-ataque a morteiros lançados pelos palestinos tinha ido "além das proporções pontuais segundo as quais o Exército israelense costuma reagir" a esse tipo de ataque.

Nabil Abu Rodeina, porta-voz do presidente palestino, Mahmoud Abbas, acusou Israel de "provocar uma escalada para sabotar as tentativas dos palestinos de uma reconciliação nacional".

Nos últimos dias, tanto Abbas - do grupo Fatah - quanto o líder do Hamas na Faixa de Gaza, Ismail Hanyia, vinham mencionando a possibilidade de um encontro para por um fim à cisão entre as duas facções, que já vigora há quase quatro anos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.