'Foi um susto. Vi gente pulando dos prédios'

Lady Francisco, atriz, visitava Nova York com a filha no momento dos ataques de 11 de setembro

Cedê Silva - O Estado de S. Paulo

03 Setembro 2011 | 16h00

ESPECIAL: Dez Anos do 11 de Setembro

 

SÃO PAULO - A atriz mineira Lady Francisco, de 71 anos, estava em Nova York em 11 de setembro de 2001 para visitar uma irmã, acompanhada da filha Andrea. A artista contou que, minutos antes de os aviões se chocarem contra o World Trade Center, avisou a bombeiros que uma aeronave circulava os edifícios de maneira suspeita.

 

Veja também:

documento ESPECIAL: Dez anos do 11/09

som ESTADÃO ESPN: Série especial

forum PARTICIPE: Onde você estava quando soube dos atentados?

 

"Descemos do apartamento e vimos as Torres Gêmeas no horizonte. Minha filha até me falou que um dia deveríamos almoçar no restaurante que havia no topo da Torre Norte. Eu jamais poderia subir até lá, tenho claustrofobia, imagina ficar aquele tempo todo dentro do elevador. Vi um avião dar uma volta ao redor das torres, achei estranho, até comentei com uns bombeiros que estavam ali perto, filmando algum procedimento", contou.

 

A atriz estava próxima ao local do atentado e viu a primeira aeronave chocar-se contra a Torre Norte segundos depois. "Foi um susto! Andrea se escondeu numa joalheria e eu fiquei paralisada. Eu não falava, só chorava", disse.

 

"Vi pedaços de corpos caindo. Uma mão decepada caiu no meu pé. Vi gente pulando dos prédios. Ter visto ao vivo não é a mesma coisa que acompanhar pela televisão. Um espanhol veio correndo e me abraçou. Ele me agarrava e gritava: ‘Mi novia, mi novia!’. Tinha acabado de deixar a namorada dele lá. Tentei ajudar como podia."

 

Lady Francisco contou que, pouco depois, buscou abrigo no apartamento de sua irmã, próximo ao local dos ataques. "Eu e Andrea ficamos no apartamento. Varamos a noite vendo TV e conversando sobre aquilo. O cheiro dos cadáveres tomava conta do apartamento. Vi contêineres passando com os corpos... "

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.