Fome ameaça 15 milhões na Etiópia e Eritréia

Uma seca forte, que se estende pelos territórios da Etiópia e da Eritréia, pode significar que até 15 milhões de pessoas da região vão precisar de ajuda alimentar em caráter de emergência no ano que vem, afirmaram as autoridades nesta segunda-feira.Na Etiópia, Simon Mechale, chefe da Comissão de Mobilização e Prevenção de Desastres, disse que até 14,3 milhões de pessoas poderiam precisar de 2,12 toneladas métricas de ajuda alimentar,em caráter emergencial."O país teve o pior índice pluviométrico durante as duas estações chuvosas, e estima-se que isso leve a uma substancial redução da produção de alimentos no final do ano; fracassos totais nas colheitas também foram anunciados em algumas áreas do país", afirmou.Na vizinha Eritréia, a Comissão Eritreriana de Socorro e Refugiados disse que um terço da população do país, de 3,5 milhões de pessoas, corre o risco de passar fome, por causa dapior seca em mais de uma década. O órgão informou que devem faltar pelo menos 400 mil toneladas métricas de alimentos.Em ambos os países, onde a agricultura de subsistência é a base da economia, as chuvas sazonais simplesmente não vieram ou foram em volume muito menor do que o normal. Isso não afetou apenas as plantações, mas também o gado.Kenzo Oshima, subsecretário para Assuntos Humanitários da ONU, disse nesta segunda-feira a representantes de países doadores, agências da ONUe organizações não-governamentais presentes em Adis-Abeba, que será preciso 1 tonelada métrica de alimentos para 2003, para pelo menos 10 milhões de vítimas da seca na Etiópia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.