Fome atormenta mais de 800 milhões

Mais de 800 milhões de pessoas, muitas delas crianças, estão "desnutridas e privadas da oportunidade de viver uma vida plena" em todo o mundo, denunciou a FAO (fundo das Nações Unidas para a alimentação) em um informe apresentado nesta segunda-feira ao Comitê sobre a Segurança Alimentar Mundial, em Roma. O comitê, que concluirá seus trabalhos em 1º de junho, além de avaliar o estado da segurança alimentar no mundo, discutirá os preparativos para o próximo fórum mundial sobre alimentação, que será realizado em novembro deste ano. A organização denunciou que países desenvolvidos e em desenvolvimento não mostram determinação suficiente para reservar os recursos necessários para a eliminação da fome. Segundo a FAO, a fome preocupa "apenas durante situações de graves emergências, mas a maioria das pessoas mal alimentadas do planeta é obrigada a enfrentar graves carências alimentares todos os dias, durante toda a vida". Entretanto, de acordo com a FAO, "ainda há boas possibilidades de serem alcançados os objetivos do fórum mundial sobre alimentação (Roma, novembro de 1996)", que é o de reduzir à metade o número de pessoas famintos no mundo até 2015. Segundo dados recentes, o número de pessoas mal alimentadas no mundo está diminuindo em 8 milhões ao ano, e não nos 20 milhões anuais necessários para alcançar o objetivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.