Desnutrição volta a crescer no mundo, diz ONU

Desnutrição volta a crescer no mundo, diz ONU

Dados indicam que combate contra desnutrição no Brasil se estagnou desde 2010

Jamil Chade CORRESPONDENTE / GENEBRA, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2018 | 06h00

Depois de uma década de avanços no combate à fome, a desnutrição voltou a aumentar no mundo, principalmente na América do Sul e na África. Os dados divulgados nesta terça-feira, 11, pela ONU revelam que, em 2017, 821 milhões de pessoas eram consideradas como desnutridas. No Brasil, o combate contra a desnutrição se estagnou desde 2010. 

Em um ano, o número saltou de 804 milhões para 821 milhões, subindo de 10,6% da população mundial para 10,9%. Isso representa uma em cada nove pessoas.

Apesar da alta, a taxa de 2017 é ainda inferior ao que se registrava no planeta em 2005, quando 14,5% da população era considerada como desnutrida. 

Uma das regiões mais afetadas pela nova realidade é a América do Sul. De acordo com a FAO, 4,7% da população da região era considerada como desnutrida em 2014. Hoje, a taxa é de 5%. 

 

Mais conteúdo sobre:
América do Sul África [continente] Fome

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.