AFP
AFP

Fonte do WikiLeaks é internada na prisão

Chelsea Manning, condenada a 35 anos de detenção por vazar segredos de Estado, teria tentado se suicidar, segundo a CNN

O Estado de S. Paulo

06 Julho 2016 | 19h00

WASHINGTON - Chelsea Manning, a soldado americana condenada a 35 anos de prisão por vazar para o WikiLeaks dados sigilosos do governo dos Estados Unidos foi hospitalizada nesta quarta-feira, 6, após uma aparente tentativa de suicídio, informou a rede de TV CNN, citando fontes militares. 

A soldado de 28 anos foi levada ao hospital depois de passar um período na solitária. O Exército americano, por meio de um porta-voz, se negou a discutir as circunstâncias do incidente. 

A advogada de Chelsea, Nancy Hollander, disse por meio de nota que está ultrajada pelo fato de o Exército ter vazado à imprensa detalhes sobre a saúde de sua cliente e não ter informado sua equipe legal. 

"Apesar do fato de eles terem informado a imprensa, nós, seus advogados, não conseguimos contatos com ela", disse a advogada. "Nós pedimos ao Exército que nos deixe falar com ela. Seus amigos e familiares estão preocupados com seu estado de saúde."

Chelsea foi condenada a 35 anos de prisão por crimes de Estado. À época, antes de mudar de gênero, ainda era Bradley Manning. Na prisão, começou a militar pelos direitos da população transgênero no Exército. /WASHINGTON POST

 

Mais conteúdo sobre:
WASHINGTON Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.