Fonte do WikiLeaks pode pegar perpétua

Para promotoria, Bin Laden teve acesso a documentos vazados por soldado americano; julgamento começa em junho

GUSTAVO CHACRA, CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2013 | 02h07

Parte dos documentos secretos do governo americano tornados públicos pelo site WikiLeaks podem ter sido exibidos a Osama bin Laden, líder da Al-Qaeda morto em operação de contraterrorismo dos EUA no Paquistão em 2011. A afirmação é de promotores militares que investigam o soldado Bradley Manning, acusado de divulgar os dados.

O militar pode ser acusado de ter passado informações secretas para a rede terrorista Al-Qaeda, o que aumenta o risco de Manning ser condenado à prisão perpétua. Seu julgamento, previsto para junho, deve durar seis semanas.

Em 2010, Manning, que trabalhou como analista de inteligência no Iraque, teria entrado em contato com Julian Assange, fundador do WikiLeaks, e passado as informações, divulgadas pelo site. Há segredos envolvendo as guerras do Iraque, do Afeganistão e também questões diplomáticas ao redor do mundo.

Manning é julgado por um tribunal militar. Para evitar a prisão perpétua, o réu tem negociado a confissão de alguns crimes, mas a ajuda a um inimigo é considerada extremamente grave.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.