Fonte: Israel responde Abbas sobre processo de paz

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, recebeu neste sábado uma resposta do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, à sua carta sobre o fracassado processo de paz, segundo uma fonte do gabinete de Abbas. O negociador-chefe de Netanyahu, Yitzhak Molcho, entregou a carta a Abbas em Ramallah. O conteúdo da carta não foi divulgado.

AE, Agência Estado

12 Maio 2012 | 17h51

No dia 17 de abril, Abbas enviou a Netanyahu uma carta que, segundo o negociador palestino Nabil Shaath, tinha como objetivo desafiar o líder israelense sobre o fracasso do processo de paz. Netanyahu deveria ter respondido em duas semanas, mas esteve ocupado com eventos políticos domésticos e a morte de seu pai.

Em sua carta, Abbas pediu que Israel apresentasse, "o mais rápido possível", sua posição sobre quatro questões-chave: o princípio de dois estados baseado nas fronteiras pré-1967, a interrupção dos assentamentos, a libertação de todos os prisioneiros palestinos e a revogação de todas as decisões que enfraquecem os acordos bilaterais desde 2000. "Estamos prontos para retomar imediatamente as negociações assim que recebermos sua resposta positiva sobre essas questões", Abbas escreveu.

Israel já disse anteriormente que quer negociações sem precondições.

O gabinete de Netanyahu havia dito que em sua resposta à carta de Abbas, o primeiro-ministro israelense proporia elevar o nível dos contatos com os palestinos para conversas diretas entre os líderes.

Em janeiro, negociadores dos dois lados mantiveram encontros preliminares numa tentativa de encontrar uma maneira de retomar o diálogo, mas essas reuniões terminaram sem uma definição.

Segundo o negociador palestino Saeb Erakat, caso não haja uma resposta favorável de Netanyahu, Abbas retomará sua campanha para que a Palestina seja incluída como estado membro na Assembleia Geral, no Conselho de Segurança e em todos os outros órgãos da Organização das Nações Unidas. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
IsraelAbbasprocesso de paz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.