Fontes de segurança pedem a estrangeiros que deixem Gaza

Fontes de segurança palestinas pediram nesta quarta-feira, 3, aos estrangeiros que permanecem em Gaza para que abandonem o território, depois do seqüestro do fotógrafo peruano Jaime Razuri, mas a Autoridade Nacional Palestina (ANP) pediu calma e desmentiu que queira a saída dos cidadãos.Um alto comando das forças de segurança se dirigiu à imprensa, sob condição de anonimato, para pedir "às organizações internacionais que trabalham em Gaza que evacuem seus colaboradores estrangeiros para evitar novos seqüestros".A fonte acrescentou que foram recebidos avisos de que estão sendo planejados novos seqüestros de estrangeiros e que os alvos são principalmente os europeus e os americanos. Razuri é peruano, mas trabalha para a agência francesa de notícias France Presse.O fotógrafo está há dois dias nas mãos de seus seqüestradores e, segundo o encarregado de negócios da embaixada peruana, César Jordán, "acredita-se que estes pertencem a um pequeno grupo que talvez procura notoriedade". Isso, segundo o diplomata, "aumenta a esperança" de que Razuri seja libertado, pois "a experiência nesses casos indica que os reféns ficam presos por pouco tempo e não são maltratados".No entanto, o diplomata peruano afirmou que, por enquanto, a embaixada "não recebeu informação alguma" sobre seu paradeiro.A embaixada peruana está em contato com o consulado da França, pois o jornalista trabalha para a agência de notícias francesa France Presse."A França conta com uma infra-estrutura em Gaza e nós estamos muito gratos por sua cooperação", disse Jordán, acrescentando que trabalham "conjuntamente" para detectar o paradeiro de Razuri. Os seqüestradores não se identificaram e não divulgaram o motivo do seqüestro.O chefe da seção consular na embaixada, Stephan Mutze, foi recebido na terça-feira na Cidade de Gaza pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e pelo chefe dos organismos de segurança, Yousef Aisa."O presidente Abbas condenou e lamentou o seqüestro em um território onde a ANP é responsável pela segurança", segundo Jordán.O cônsul peruano, em nome do Ministério de Exteriores em Lima, pediu a Abbas que faça todos os esforços para conseguir a libertação de Razuri.Ahmed Soboh, vice-ministro de Informação na ANP e próximo do presidente, Mahmoud Abbas, assegurou à agência de notícias EFE que não se pediu aos estrangeiros que saiam do território, pois "se espera que a coisa não seja para tanto". Em relação ao fotógrafo seqüestrado, Soboh disse que a ANP espera "a qualquer momento ter boas notícias".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.