Força americana utiliza caças e drones nos bombardeios

O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2014 | 02h00

CENÁRIO: Roberto Godoy

A intensidade do bombardeio americano no norte do Iraque não é baixa: em dois ataques separados por menos de 12 horas, os caças F-18 Super Hornet destruíram boa parte da artilharia móvel do Isil - e os drones Reaper, armados e pilotados remotamente, acabaram com pelo menos duas centrais de comando montadas sobre utilitários civis convertidos. Até agora, a ação é da Marinha. Os jatos decolaram do porta-aviões George Washington - um gigante de 332 metros de comprimento, 104 mil toneladas, 6 mil tripulantes e 90 aeronaves - que está no Mar da Arábia. Cada F-18 leva até 8 toneladas de armas. Em duplas, lançaram sobre os alvos, em Irbil, bombas de 250 quilos guiadas por raios laser. Foram atingidos 32 objetivos em oito diferentes localidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.