Força de paz requer pelo menos 20 mil homens

Uma força internacional de paz para o Oriente Médio requer pelo menos 20 mil soldados, segundo um estudo de um instituto militar do Pentágono. Enquanto o Departamento de Defesa continua afirmando quenão tem planos para enviar uma força de paz dos EUA ao OrienteMédio, institutos como a School of Advanced Military Studies(SAMS, uma escola de treinamento do Exército americano)completaram os planos sobre que tipo de estrutura deveria teruma força de paz a ser enviada à região. A força em questão, diz um estudo de 68 páginas do SAMS,exigiria, no primeiro ano de atividades, o envio de pelo menos20 mil homens "bem armados" a lugares-chave como Jerusalém,Gaza, Hebron e Nablus. A força de paz deveria ser dotada de uma centena deblindados, 25 tanques, armas pesadas, helicópteros de ataque eaviões-espiões sem pilotos, afirma o estudo, divulgado hoje (05)pelo jornal Washington Times. Nesse estudo sobre a situação, as forças israelenses sãodescritas como "bem armadas e adestradas" e se destaca que astropas de Tel Aviv "são famosas por ignorar as leisinternacionais no cumprimento das missões que lhe sãoconfiadas". Mesmo assim, "é improvável que abram fogo contra as tropas americanas". Muito mais cautelosa é a avaliação que aparece noinforme sobre o Mossad, o serviço secreto israelense - que équalificado como "imprevisível, impiedoso e astuto". O estudo do SAMS (o centro de treinamento do Exércitofica em Fort Leavenworth, no Kansas) vê possíveis perigos paraas forças de paz também entre os jovens palestinos". Enquanto uma força internacional de paz é bem vistapelos palestinos, o governo de Israel se opõe à idéia. O envio de tropas americanas ao Oriente Médio, no âmbito de uma força internacional, encontra muita resistência inclusive dentro dos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.