Forças afegãs matam insurgentes após 19 horas de combates

Últimos militantes estavam escondidos em prédio após ataques contra embaixada americana e QG da Otan em Cabul.

BBC Brasil, BBC

14 Setembro 2011 | 03h21

Forças afegãs disseram ter matado na manhã desta quarta-feira os últimos insurgentes responsáveis por uma série de ataques contra a embaixada dos Estados Unidos, o quartel-general da Otan e prédios da polícia em Cabul.

Quase 19 horas depois que os combates começaram, as autoridades do país afirmaram ter derrotado os últimos militantes que usavam um prédio em construção como base para os atentados.

Ao menos quatro policiais, dois civis e nove insurgentes teriam sido mortos nos ataques, que acontecem ao mesmo tempo em que as tropas estrangeiras começam a se retirar do Afeganistão.

Segundo a Otan e os Estados Unidos, nenhum de seus funcionários está entre os mortos.

Autoria

O Talebã assumiu a autoria dos ataques de terça-feira, mas autoridades afegãs culpam a rede Haqqani, um grupo insurgente ligado ao Talebã, mas que opera de forma independente.

Na madrugada desta quarta-feira, as forças afegãs ainda combatiam os militantes dentro do prédio em construção que tem vista para o bairro diplomático da capital afegã.

O correspondente da BBC em Cabul Bilal Sarwary disse que, pouco antes da confirmação do fim dos confrontos, tropas afegãs estavam no décimo andar trocando tiros com três militantes fortemente armados nos andares acima deles.

Helicópteros militares americanos e afegãos foram utilizados na operação, enquanto agentes de inteligência coletavam provas nos primeiros andares do prédio na tentativa de descobrir como o ataque foi planejado e conduzido.

Ataque suicida

O ataque começou às 13:30 de terça -feira (horário local), quando um carro foi parado em um posto de checagem a cerca de um quilômetro da embaixada americana.

Testemunhas disseram que houve uma série de grandes explosões e os insurgentes entraram no prédio em construção.

Dali, cerca de cinco militantes abriram fogo contra o complexo da embaixada com metralhadores, lançadores de granadas e talvez um morteiro.

Também teria havido uma série de explosões simultâneas na área de Wazir Akbar Khan, perto da região.

Ao mesmo tempo, no oeste da capital afegã, dois homens-bomba detonaram explosivos do lado de fora de uma delegacia.

Um terceiro foi morto enquanto tentava chegar ao aeroporto. Uma cadeia comandada pelos serviços de inteligência também era um dos alvos.

Um porta-voz do Talebã disse que o grupo estava realizando "um enorme ataque suicida contra serviços de inteligência locais e estrangeiros".

Capacidade de ataque

O diretor do Centro Afegão para Pesquisa e Estudos de Política, Haroun Mir, disse que essa foi a primeira vez que quatro grupos de militantes atacaram em quatro locais diferentes.

"Isso é novo, já que anteriormente tínhamos um máximo de um ou dois ataques. A rede Haqqani tem apoio total do Talebã e tem a capacidade de realizar ataques sofisticados. É o único grupo com esta capacidade."

O presidente afegão, Hamid Karzai, condenou os ataques e arfirmou que eles não impedirão que as forças afegãs assumam total controle da segurança quando as forças internacionais deixarem o país.

"Realizando ataques como esses, os terroristas não conseguirão parar a transição da segurança das forças internacionais para as afegãs", disse Karzai em um comunicado.

Este ano, as forças da Otan entregaram o controle da segurança em sete áreas do Afeganistão, incluindo duas províncias, às autoridades locais. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
afeganistão tiroteio explosões cabul ataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.