Forças americanas capturam 60 suspeitos de ligações com a Al-Qaeda no Iraque

Forças americanas capturaram em Bagdá cerca de 60 iraquianos suspeitos de estarem envolvidos com o grupo terrorista Al-Qaeda, segundo informou neste sábado o comando militar dos Estados Unidos.Também neste sábado, sete pessoas morreram em conseqüência da violência instalada no país, incluindo duas na cidade de Basra, no sul, vítimas de uma bomba que explodiu em uma loja de CDs, pouco após o sermão do clérigo radical antiamericano Muqtada al-Sadr. A prisão dos 60 iraquianos suspeitos de pertencerem ao grupo terrorista é a primeira ação da medida de reforços que o governo dos EUA pretende implantar em Bagdá. Um comunicado dos militares americanos informou que os 60 homens foram presos nesta sexta-feira, em Arab Yabour, no "triângulo da morte", região de maior atividade da insurgência árabe sunita, ao sul de Bagdá. Acredita-se que eles tenham associação com a liderança da Al-Qaeda, mais especificamente com a célula responsável pela criação de bombas que servem para ataques suicidas, diz o comunicado.Segundo a nota, os detidos planejavam ataques como os do mês passado em al-Mahmudiya, 30 quilômetros ao sul de Bagdá, que deixou 43 mortos e cerca de 90 feridos. As forças de segurança estão interrogando os detidos para descobrir mais detalhes de suas "operações terroristas".A atividade insurgente continua no Iraque apesar da entrada em vigor, em julho, de um plano de reconciliação nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.