Forças anti-Kadafi avançam para tomar Trípoli

Insurgentes que cercam a capital da Líbia teriam entrado na cidade por três frentes, cortando rotas de abastecimento, no avanço final para depor Kadafi

Reuters e Ap, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2011 | 00h00

Após dias de derrotas, que deixaram Muamar Kadafi e seu Exército com as forças voltadas para a defesa da capital, Trípoli, da investida rebelde, tiros e explosões foram ouvidos na noite de ontem na periferia da cidade. Embora não fosse possível dimensionar a aproximação dos insurgentes, cresciam as especulações de que o regime de 41 anos do ditador estava em vias de entrar em colapso.

De acordo com alguns relatos, os rebeldes teriam entrado na capital por três frentes, depois de conquistar, nos últimos dias, a cidade litorânea de Zawiya. Moradores de Trípoli, segundo testemunhas, teriam saído às ruas da cidade para celebrar a queda iminente de Kadafi e saudar a chegada dos insurgentes.

Ao longo da noite, testemunhas disseram ter ouvido pesados disparos na periferia da capital. O porta-voz do governo, Moussa Ibrahim, no entanto, garantiu que Trípoli estava "segura e estável". Em pronunciamento na TV estatal, Kadafi agradeceu seus partidários por terem rechaçado o ataque dos "ratos rebeldes" e acusou o presidente francês, Nicolas Sarkozy, de tentar roubar o petróleo da Líbia.

Na semana passada, Kadafi tinha exortado seus partidários a tomarem as armas para defender a cidade, seu último reduto, depois de - segundo fontes da oposição - ter ordenado o disparo de pelo menos um míssil Scud contra os rebeldes.

Funcionários de Washington consideram que os dias do veterano ditador estão contados. Com a consolidação da posição em Zawiya, neste sábado, os insurgentes bloquearam as últimas rotas de abastecimento de Trípoli. A imposição de um cerco ao redor da capital deixou os moradores aprisionados e sem acesso ao fornecimento de combustível e alimento.

Os combates em Zawiya foram sangrentos e a expectativa dos combatentes era de preocupação. Rebeldes afirmavam que ele tentaria "pegar a cidade de volta a qualquer preço". Ao leste, o avanço dos insurgentes era ainda mais difícil e lento, com pelo menos 35 mortos e 150 capturados, segundo um dos porta-vozes dos rebeldes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.