Ben Birchall/PA via AP
Ben Birchall/PA via AP

Forças Armadas britânicas aceitarão mulheres em todas as unidades de combate

Grã-Bretanha autorizou a presença de mulheres em unidades de primeira linha de combate em 2016

O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2018 | 19h21

LONDRES - As mulheres britânicas poderão integrar qualquer unidade das Forças Armadas britânicas, incluindo o corpo de elite Special Air Service (SAS), informou o governo nesta quinta-feira, 25.

A decisão, classificada de "histórica" pelo ministro da Defesa, Gavin Williamson, é de caráter imediato para as militares, que já poderão pedir transferência. 

As novas recrutas poderão diretamente, a partir de dezembro, pedir sua incorporação a corpos como os Royal Marines, para iniciar treinamento básico a partir de abril.

As mulheres que superarem todas as provas necessárias podem se unir ao SAS, o corpo de elite da Força Aérea.

A Grã-Bretanha autorizou a presença de mulheres em unidades de primeira linha de combate em 2016. "A partir de hoje, pela primeira vez em sua história, nossas Forças Armadas estarão determinadas por sua capacidade somente, e não por seu gênero" explicou o ministro durante alguns exercícios militares em Salisbury Plain, no sudoeste da Inglaterra. / AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.