Forças Armadas colombianas resgatam 3º refém das Farc

Foram libertados dois oficiais militares e a mãe de um sargento colombiano após 12 anos de cativeiro

Efe,

13 de junho de 2010 | 21h41

As Forças Armadas da Colômbia resgataram neste domingo, 13, um terceiro refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), o sargento Arbey Delgado Argote, confirmou sua mãe Ruth Amelia Argote, na mesma operação em que foram libertados o general Luis Mendieta e o coronel Enrique Murillo.

 

Em declarações à "Caracol Radio", Argote explicou que lhe tinham comunicado oficialmente o resgate de seu filho, sequestrado durante o ataque à base antinarcóticos da Polícia e a um batalhão do Exército na localidade de Miraflores, no departamento (estado) do Guaviare, em 3 de agosto de 1998.

 

O sargento Arbey Delgado, que tem 40 anos, foi sequestrado há quase 12, e tem três filhos. A menor tinha só dez meses quando foi feito cativo pelas Farc.

 

Durante o ataque àquela base por cerca de 500 guerrilheiros, que durou cerca de 20 horas, nove pessoas morreram, 10 ficaram feridas e 22 membros das forças de segurança desapareceram.

 

Os policiais e militares pediram apoio à força Aérea, mas o mau tempo impediu que chegasse a tempo.

 

O resgate hoje de três sequestrados representa o maior golpe militar sobre as Farc desde 2008, quando através da "Operación Jaque" foram libertados 15 reféns, entre eles a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e três americanos.

 

O presidente Álvaro Uribe deu a notícia nas primeiras horas da tarde, quando anunciou a libertação de Mendieta e Murillo.

 

Depois, o governador doe Guaviare, Dagoberto Suárez, anunciou a do sargento Delgado, ratificada minutos depois por sua própria mãe.

 

A operação de resgate aconteceu em uma região de selva do departamento de Guaviare, próxima a Miraflores.

 

Suárez disse a "Caracol Radio" que se espera que melhorem as condições meteorológicas para que os resgatados possam ser levados para San José do Guaviare, capital departamental, e dali a Bogotá, onde seus parentes os esperam.

 

"As condições meteorológicas são difíceis, há muitas dificuldades, mas estamos contentes com este terceiro resgate tão importante para o país e para as Forças Militares", concluiu Suárez.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaFarcrefénscativeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.