Romário Cunha/VPR
Romário Cunha/VPR

Forças Armadas venezuelanas decidirão destino de Maduro, diz Mourão

Para vice-presidente, 'nós, militares, entendemos que tudo tem um limite'

Leonencio Nossa, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2019 | 14h25

BRASÍLIA - O vice-presidente Hamilton Mourão avaliou há pouco que o destino do governo de Nicolás Maduro, na Venezuela, será decidido pelas próprias Forças Armadas do país vizinho. Em entrevista à imprensa, ele avaliou também que esse "momento" está "chegando".

"A questão da Venezuela será resolvida no momento em que as Forças Armadas venezuelanas se derem conta (da situação)", disse. "O país está fechado em si mesmo (...) Nós, militares, entendemos que tudo tem um limite."

Na conversa com os jornalistas, Mourão reiterou que o governo brasileiro não intervirá. "Nós temos a tradição de não intervir nas questões internas de outros países. Não vamos cruzar uma linha de algo que sabemos como começa e não sabemos como termina", afirmou.

Ao comentar pedidos da oposição venezuelana sobre bloqueio de recursos de autoridades do país no Brasil, o vice-presidente afirmou que a proposta foi discutida. Ele ressaltou que o governo brasileiro sofre "pressões" para tomar medidas contra o governo de Nicolás Maduro. Mourão lembrou também que os Estados Unidos cortaram recursos da Venezuela e a Comunidade Europeia reconheceu a presidência interina do deputado opositor Juan Guaidó.

Mourão disse que o governo acompanha com atenção a crise e, em especial, a situação dos jornalistas que foram presos durante a cobertura política. "Esse problema não é de hoje. A liberdade de imprensa foi banida", comentou. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.