Forças da coalizão avançam, apesar de tempestade

Sob uma intensa tempestade de areia, que hoje se abateu sobre metade do território iraquiano, as tropas da coalizão anglo-americana avançavam na direção de Bagdá e tomavam posições iniciais perto da cidade de Kerbala, para combater a Divisão Medina, no mais externo dos círculos de defesa montados pela Guarda Republicana - corpo de elite das forças do Iraque - para defender a capital. Aviões da aliança atacaram as posições iraquianas já nos arredores de Bagdá, atingida na noite de hoje por três ondas de bombardeios.Ao mesmo tempo, em Basra, no sul do Iraque, em meio a relatos não confirmados de que uma revolta popular estava em curso, soldados britânicos preparavam uma ofensiva. Dois britânicos foram mortos em mais um incidente de "fogo amigo".Em entrevista coletiva na sede do Comando Central aliado, o brigadeiro Victor Renuart informou que a tempestade, que deve continuar, afetou principalmente a atuação dos helicópteros de combate, mas não as ações terrestres, que operam dentro do cronograma estabelecido para a missão de derrubar Saddam Hussein.Renuart disse que a tempestade de areia afetava igualmente os dois lados em conflito. "O mau tempo também dificulta as ações dos franco-atiradores iraquianos", afirmou.Pela primeira vez desde o começo da guerra, porta-vozes do Exército iraquiano reconheceram que os soldados da aliança avançavam por terra "para as linhas além do Eufrates Central", ou seja, no centro do país.Segundo o comando americano, a unidade de cavalaria que marcha à frente da coluna mecanizada já cruzou o Rio Eufrates, depois de obter o controle de uma ponte estratégica em Nassíria, onde as forças iraquianas ainda mantêm bolsões de resistência.Além disso, os militares americanos afirmam que nas duas últimas noites foram destruídos seis sistemas usados pelas forças iraquianas para desorientar aparelhos de GPS, dispositivos de orientação por satélite usados pelas tropas e para direcionar armas inteligentes.Renuart disse que nos combates de Nassíria houve baixas entre os fuzileiros navais, mas recusou-se a dizer quantos, porque "estão sendo feitas as notificações correspondentes". Fontes iraquianas dizem ter imposto "pesadas baixas" ao inimigo.As forças iraquianas que resistem em Nassíria são essencialmente destacamentos da Guarda Republicana, assim como os Fedayin, grupo paramilitar formado por militantes do Partido Baath, de Saddam. Renuart acusou os iraquianos de manter escudos humanos em instalações militares de várias cidades.Além de Bagdá e Basra, os bombardeios americanos também atingiram hoje a cidade de Mosul, a terceira maior do país, no norte do Iraque. Segundo informações da rede de TV do Catar Al-Jazira, dois canais de televisão iraquianos saíram do ar depois que retransmissoras foram atingidas por bombas.O governo iraquiano informou hoje ter derrubado um avião espião americano no sul do país, mas a notícia não foi confirmada por nenhuma fonte independente. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.