Forças da Otan bombardeiam reduto de Kadafi

BANI WALID, LÍBIA

Lourival Sant'Anna, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2011 | 00h00

Combatentes do Conselho Nacional de Transição (CNT) entraram na manhã deste sábado em Bani Walid, uma das quatro cidades sob controle das forças leais a Muamar Kadafi, mas tiveram de recuar. Os comandantes da operação receberam ordem de se retirar da cidade de 100 mil habitantes para os aviões da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) bombardearem a base do Exército de Kadafi. Os combatentes recuaram 5 km da cidade e passaram a ser alvejados por foguetes Grad disparados de Bani Walid. Então tiveram de recuar mais 3 km.

O Estado estava às 14 horas locais (9 horas em Brasília) na posição mais próxima de Bani Walid, 7 km a noroeste do centro da cidade, quando a área começou a ser alvo de disparos de franco-atiradores, vindo das dunas do deserto, no flanco oeste. Meia hora depois, um foguete Grad caiu nas proximidades. Alguns minutos mais tarde, com a correção da mira, outros quatro foguetes caíram bem mais perto.

Abdullah Kanshil, membro do comando do CNT no local, acusou as forças leais a Kadafi de disparar os foguetes de casas, para escapar do bombardeio da Otan. Cerca de mil combatentes do CNT cercam Bani Walid, apoiados por peças de artilharia antiaérea montadas sobre caminhonetes.

Os combatentes estimam que haja entre 300 e 500 soldados profissionais fortemente armados na cidade, reduto da tribo warfallah, a mais numerosa da Líbia. Com 1 milhão de integrantes, a tribo era a principal base de apoio do regime de Kadafi, até que a guerra civil a dividiu.

Pelo menos dois combatentes das forças do CNT haviam sido mortos e dois feridos até o meio da tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.