Forças de Abbas tomam parte de um ministério do Hamas

Forças leais ao presidente palestino, Mahmoud Abbas, tomaram parte de um ministério do Hamas e isolaram a área ao redor do prédio neste domingo, um dia depois de ele ter convocado eleições antecipadas. Membros da guarda presidencial de Abbas, uma força de quase quatro mil homens apoiada pelos EUA, tomaram o Ministério da Agricultura e mandaram funcionários para casa, uma medida destinada a proteger uma grande área no centro da Cidade de Gaza onde Abbas mora.O movimento Hamas, à frente do governo palestino, classificou a ação de "golpe militar". O ministro das Relações Exteriores, Mahmoud al-Zahar, exigiu a saída das forças de Abbas dos ministérios e disse que elas serão presas e desarmadas.Centenas de homens fortemente armados patrulham as ruas e estão desviando carros. A eles uniram-se membros das Brigadas de Mártires de al-Aqsa, um grupo militante leal ao movimento Fatah, de Abbas.A operação de segurança segue-se a um ataque de madrugada por homens armados contra um acampamento de treinamento usado pela guarda presidencial. Um oficial foi morto e ao menos cinco outros ficaram feridos, segundo fontes de segurança.O ataque envolveu dezenas de homens em uniformes similares aos usados por militantes do Hamas, disse um membro da guarda presidencial, mas o grupo nega participação. O Hamas já havia acusado Abbas de golpe, após ele ter anunciado, no último sábado, planos de eleições antecipadas, em uma tentativa de romper meses de impasse e de suspender sanções internacionais. Depois de nove meses de violência entre as facções palestinas, algo que provoca temores de uma guerra civil, Abbas afirmou que as eleições devem ocorrer assim que possível, mas que todos os esforços devem prosseguir para a formação de um governo de união entre o Hamas e a Fatah.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.