AP
AP

Forças de Assad matam ao menos 37 rebeldes em Homs

Exército regular aproveita dissidências na oposição para consolidar posições

O Estado de S. Paulo,

10 de janeiro de 2014 | 10h30

Forças leais ao presidente da Síria, Bashar Assad, mataram ao menos 37  combatentes rebeldes que tentaram escapar de um bloqueio do Exército à cidade de Homs, na região central do país, informaram a mídia estatal e um grupo de monitoramento da violência no país.

Segundo a agência de notícias Sana, uma fonte militar disse que unidades do Exército "confrontaram grupos terroristas armados" que tentaram invadir esta semana o bairro de Khaldiya, a norte da área controlada pelos rebeldes na Cidade Velha, no coração de Homs.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que ao menos 45 rebeldes foram cercados e mortos quando deixavam a Cidade Velha na quarta-feira à noite e na quinta de manhã.

O Observatório, com sede na Grã-Bretanha e que monitora a violência na Síria através de uma rede de fontes médicas e combatentes, disse não ter informações sobre mortos entre as forças do governo.

As forças de Assad cercam os rebeldes há mais de um ano em Homs, local onde começou em 2011 a revolta contra o presidente. Os protestos deram origem a uma rebelião armada e posteriormente a uma guerra civil depois que as forças do presidente reprimiram as manifestações.

As mortes ocorreram menos de duas semanas antes de negociações na Suíça para tentar encontrar uma solução que encerre o conflito de quase três anos, que segundo o Observatório já matou mais de 130 mil pessoas. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Síria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.