Forças de Israel combatem em bairro da Cidade de Gaza

Forças terrestres israelenses combateram militantes palestinos nas ruas bastante povoadas de Cidade de Gaza, na manhã de hoje. Foram destruídas dezenas de casas e muitos moradores amedrontados fugiam em busca de abrigo dos tiros e explosões. A ofensiva de Israel no bairro Tel Hawwa foi a área mais profunda ocupada pelo Exército em Cidade de Gaza desde o início da ofensiva, em 27 de dezembro. Os militares estão agora apenas 1,5 quilômetro distantes do densamente ocupado centro da cidade.Autoridades médicas palestinas afirmaram que ao menos 905 palestinos, a metade civil, já morreram na ofensiva. Israel lançou os ataques com o objetivo declarado de interromper o lançamento de foguetes vindos da Faixa de Gaza em seu território. O primeiro-ministro do país, Ehud Olmert, disse que a operação prosseguirá com "punhos de ferro", apesar dos apelos internacionais pelo fim da violência. O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, irá viajar hoje à região, para pressionar por um cessar-fogo. As testemunhas palestinas contam que as forças de Israel entraram cerca de 300 metros em Tel Hawwa, uma vizinhança de prédios altos no extremo sudeste de Cidade de Gaza. Médicos palestinos informaram sobre pelo menos 16 pessoas mortas nesse confronto, ainda que o Exército de Israel sugira que o número pode ser bem maior. Havia fumaça e destruição em alguns pontos atacados da cidade, de 400 mil habitantes.Os militares israelenses informaram que houve perto de 60 ataques aéreos durante a noite, tendo como alvos militantes do Hamas que estavam em um hotel, em uma residência e em uma mesquita. Três soldados israelenses foram feridos. O lançamento de foguetes pelos militantes do Hamas foi bastante reduzido, porém não parou desde o início da ofensiva. Olmert afirmou ontem que a guerra acabaria apenas quando o Hamas parar de lançar foguetes no território israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.