Forças de paz só poderão atirar para se defender, diz jornal

As forças de paz da ONU terão o direito de abrir fogo em autodefesa e para defender civis, mas não poderão procurar por armas do Hezbollah. A informação foi publicada pelo jornal francês Le Monde nesta terça-feira, e é parte de um documento provisório acerca do mandato das forças.Na reportagem, o jornal explica ter obtido uma cópia do documento, classificado como "restrito à ONU". Funcionários dos ministérios de Exteriores e da Defesa franceses se recusaram em comentar a reportagem. Enquanto a ONU tenta garantir um maior número de soldados para elevar de 2 mil para 15 mil o número de homens das tropas de paz no Líbano, vários países europeus se recusam em se comprometerem com o envio de tropas antes que as regras do mandato tornem-se mais claras. Membros da União Européia devem se reunir na sexta-feira em Bruxelas para discutir o envio das tropas. O documento citado pelo Le Monde, no entanto, parece não satisfazer esses países, afirma a reportagem. Sob os termos atualmente em discussão, as tropas de paz terão que operar defensivamente, embora poderão "usar a força apropriada se necessário".Segundo o documento, a força estará autorizada a prevenir atividades hostis na zona de segurança entre o sul do Líbano e a fronteira israelense. Além disso, também poderá combater qualquer um que tentar impedi-la de cumprir seu mandato e deverá "proteger os civis imediatamente ameaçados de violência física".O jornal diz ainda ter obtido outro documento segundo o qual o Exército libanês será o responsável pelo desarmamento do Hezbollah. De acordo com uma fonte da ONU citada pelo Le Monde, as forças de paz não poderão procurar por armas escondidas pelos militantes, mas terão a autorização de apreender qualquer armamento encontrado em patrulhas regulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.