Noorullah Shirzada / AFP
Noorullah Shirzada / AFP

Forças de segurança afegãs libertam 149 pessoas após emboscada do Taleban

Segundo o vice-porta-voz do Ministério do Interior, 21 seguem nas mãos dos insurgentes; ação acontece um dia após o presidente do Afeganistão declarar um cessar-fogo de três meses com o grupo

O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2018 | 08h03

CABUL - As forças de segurança do Afeganistão lançaram uma operação nesta segunda-feira, 20, ao norte da Província de Kunduz e libertaram 149 pessoas, entre elas mulheres e crianças, que haviam sido sequestradas por membros do Taleban horas antes, disseram funcionários.

A ação serviu de estímulo para as forças afegãs, que têm enfrentado problemas para conter a ofensiva da milícia em outras partes do país.

No início da manhã, os taleban armaram uma emboscada para um comboio de três ônibus que circulavam por uma rodovia do distrito de Khan Abad e sequestraram os passageiros, explicou Nasrat Rahimi, vice-porta-voz do Ministério do Interior.

Até o momento, as forças de segurança libertaram 149 pessoas, enquanto outras 21 seguem nas mãos dos insurgentes, disse Rahimi, acrescentando que ao menos sete taleban morreram nos confrontos.

O ataque aconteceu um dia após o presidente afegão, Ashraf Ghani, declarar um cessar-fogo de três meses com o grupo, sob a condição de que eles também interrompam os combates, depois de um recente aumento da violência no país.

“Anuncio um novo cessar-fogo a partir de amanhã (segunda-feira) até o aniversário do profeta (21 de novembro), sob a condição de que os taleban façam o mesmo”, afirmou o chefe de Estado.

Os EUA apoiaram a oferta de cessar-fogo e pediram aos taleban que entreguem as armas. “Apoiamos essa iniciativa do governo afegão”, disse o secretário de Estado americano, Mike Pompeo.

Alvos

Esmatullah Muradi, porta-voz do líder da Província de Kunduz, também confirmou o resgate dos reféns. Segundo Mohamed Yusouf Ayubi, chefe do conselho provincial da região, os taleban estariam buscando funcionários do governo ou membros das forças de segurança que voltavam para casa em razão do feriado do Aid al Adha (Festa do Sacrifício), que começa na terça-feira.

Relembre: carro-bomba deixa dezenas de mortos e feridos em Cabul

Os passageiros dos ônibus haviam saído das províncias de Badakhshan e Takhar e seguiam em direção à capital, Cabul, afirmou Abdul Rahman Aqtash, chefe da polícia de Takhar. / AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.