Forças de segurança do Egito invadem canal da Al Jazeera

Agentes de segurança invadiram os escritórios de um canal da Al Jazeera no Egito e detiveram alguns dos seus funcionários, disse a emissora do Catar no domingo, descrevendo a medida como uma tentativa de conduzir o canal a sair do ar.

REUTERS

11 Setembro 2011 | 13h13

A agência de notícias estatal Mena disse que havia sido fechada uma empresa que fornecia instalações para a Al Jazeera Mubasher, que transmite ao vivo eventos internacionais. A Mena disse que a unidade da Al Jazeera não tinha licença apropriada.

Desde que foi lançada em 1996, a Al Jazeera se tornou o maior destaque entre as emissoras de notícias por satélite no Oriente Médio. O canal enfrenta com frequência problemas com os governos em uma região onde a mídia tem sido tradicionalmente bem controlada.

O diretor da Al Jazeera Mubasher no Cairo, Ahmaed Zain, disse que agentes do Ministério do Interior, entre outros funcionários do governo, invadiram o escritório do canal. Segundo ele, vários dos responsáveis pela transmissão no canal foram detidos.

"Nós continuamos em nossa jornada na transmissão do que está acontecendo no Egito para o espectador egípcio", disse ele. "Quanto às licenças, temos pedido por licenças há um longo tempo, desde que o canal foi criado, e (os pedidos) são ignorados sempre que perguntamos sobre eles."

A Mena citou um funcionário dizendo que os escritórios dos canais da Al Jazeera em árabe e em inglês estavam operando livremente.

(Reportagem de Shaimaa Fayed)

Mais conteúdo sobre:
EGITOALJAZEERAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.