Forças do Conselho de Transição da Líbia atacam cidade natal de Khadafi

Sirte é um dos últimos focos de resistência de regime deposto.

BBC Brasil, BBC

25 Setembro 2011 | 08h30

Forças do Forças do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia prosseguem atacando neste domingo forças leais ao coronel Muamar Khadafi em Sirte, um dos dois últimos redutos do regime deposto.

Combatentes do CNT haviam feito importantes ganhos militares no ataque de sábado contra a cidade, quando entraram pelo leste e oeste, chegando a cerca de 1km do centro.

Não há evidencias de que Khadafi está em sua cidade natal. O correspondente da BBC que acompanha os combatentes do CNT diz que Sirte tem grande valor simbólico como um dos últimos bastiões do regime.

Um combatente do CNT disse à agência Reuters que atiradores de elite leais a Khadafi disparam do alto de prédios. Não há estimativa sobre o número de mortos.

No último fim de semana, o CNT tentou tomar a cidade mas foi encontrou resistência maior do que a esperada e foi repelido.

A Otan vem auxiliando as forças do CNT com bombardeios aéreos.

Mais de 1.300 famílias deixaram a cidade na última semana, de acordo com o CNT.

A outra cidade leal ao coronel é Bani Walid, ao sudeste de Trípoli.

Dinheiro

No sábado, o premiê interino líbio, Mahmoud Jibril, falou à Assembleia Geral da ONU, em Nova York, afirmando que uma nova e democrática Líbia estaria "nascendo" e se integrando à comunidade internacional.

Jibril pediu para que os estados membros da ONU liberem o dinheiro do governo líbio congelado por conta de sanções, "para assegurar a reconstrução e reabilitação do país".

O CNT criticou um canal de TV sírio pró-Khadafi que divulgou na sexta-feira uma mensagem de áudio da filha do líder deposto, Aisha.

O novo governo do país argumenta que Aisha, que recebeu asilo político na Argélia por razões humanitárias, não deveria poder fazer declarações políticas. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
libiasirtekhadafi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.