Forças do governo matam 4 durante protesto no Iêmen

As forças iemenitas dispararam na segunda-feira contra manifestantes que bloqueavam o acesso a um prédio público, matando um comerciante e três participantes do protesto em Taiz, segundo testemunhas.

MOHAMMED GHOBARI, REUTERS

09 de maio de 2011 | 20h05

Os soldados, alguns em veículos blindados, feriram pelo menos 80 pessoas durante o incidente na cidade industrial, que tem registrado algumas das maiores manifestações durante a atual onda de protestos contra o presidente Ali Abdullah Saleh.

Saleh, no poder há quase 33 anos, já perdeu o apoio de muitos aliados internos e externos, mas se nega a deixar o poder imediatamente. Além de Taiz, outras cidades registraram manifestações contra o presidente.

"Uma grande força da polícia e do Exército atacou os manifestantes e então os perseguiu em áreas residenciais; eles abriram fogo e usaram gás lacrimogêneo pesadamente", disse o ativista Bushra al Maqatari, em Taiz.

O dono de um quiosque comercial foi morto por uma bala perdida. Dois manifestantes também morreram ao serem atingidos na hora em que as forças de segurança tentavam dissolver o protesto perto do prédio do Ministério da Educação, segundo um médico que atendeu os feridos.

Um terceiro manifestante morreu mais tarde em decorrência dos ferimentos, segundo o médico.

(Reportagem de Mohammed Ghobari em Sanaa e Khaled al-Mahdi em Taiz)

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENPROTESTOQUATRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.