Forças do governo sírio matam 6 em feriado muçulmano

Forças de segurança mataram pelo menos seis pessoas no centro da Síria enquanto milhares de manifestantes contrários ao governo pediam a queda do regime de Bashar Assad neste domingo, o primeiro dia do feriado muçulmano Eid al-Adha. A violência amplia os receios de que o plano de paz elaborado pela Liga Árabe na semana passada tenha fracassado apenas dias depois de Damasco concordar em interromper os ataques contra os protestos que já duram sete meses e que, segundo a ONU, deixaram cerca de 3 mil mortos.

AE, Agência Estado

06 de novembro de 2011 | 10h02

Na província de Homs cinco pessoas foram mortas pelas forças do governo hoje. O Observatório para Direitos Humanos na Síria, que tem sede na Inglaterra, afirmou que o exército matou um sexto civil na cidade de Hama durante incursões na região.

As tropas também atiraram para dispersar multidões perto de Damasco e no norte do país, enquanto as pessoas saíam de mesquitas para iniciar protestos pedindo a saída de Assad. Não houve relatos imediatos sobre mortos nesses ataques. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaviolênciaBashar Assad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.