REUTERS/Alaa Al-Marjani
REUTERS/Alaa Al-Marjani

Forças do Iraque se aproximam de prédios do governo em Mossul

Ofensiva para retirar extremistas do EI da cidade já deslocou 286 mil pessoas - 57 mil delas nas últimas semanas

O Estado de S.Paulo

05 de março de 2017 | 21h36

BAGDÁ - Tropas iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos estão prestes a chegar ao principal complexo governamental em Mossul, no norte do Iraque, seu próximo alvo na ofensiva para desalojar o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) da cidade.

O complexo, que abriga o Conselho Provincial de Nínive e os edifícios do governo provincial, deve ser tomado hoje, afirmou o tenente-coronel Abdel Amir al-Mohammadawi. “As unidades de resposta rápida do Ministério do Interior estão muito próximas do complexo”, garantiu Mohammadawi.

As tropas também chegaram mais perto da estação de trem do bairro de Uadi Hayar, onde ocorreram intensos combates contra os jihadistas. Os militares também avançaram pelos bairros de Al-Mansur e Al-Samud, após a chuva ter dificultado o avanço das tropas no sábado.

De acordo com oficiais envolvidos no combate, as forças iraquianas mataram 12 combatentes do EI, explodiram cinco carros-bomba e conseguiram repelir uma série de ataques suicidas.

Consequências. Mais de 57 mil pessoas se deslocaram da parte ocidental de Mossul desde o início da ofensiva das forças iraquianas na região, informou ontem o Ministério de Migrações do país.

O titular da pasta, Jassim Mohammed al-Yaf, detalhou em comunicado que os funcionários do ministério receberam estes deslocados desde 19 de fevereiro, aos quais foram oferecidos alimentos e ajuda básica.

Além disso, destacou que o ministério colabora com o Exército e a polícia, assim como com outros parceiros, para “prestar o melhor serviço aos deslocados e aliviar seu sofrimento”, segundo a nota. Al-Yaf garantiu que o governo está preparado para receber 100 mil pessoas em acampamentos.

O ministro também afirmou que 286 mil pessoas se deslocaram desde o começo da grande campanha militar para expulsar o EI de Mossul e de outras áreas no norte do Iraque, em outubro.

ONU. A Organização Internacional de Migrações (OIM) informou que 45.714 pessoas fugiram dos combates em Mossul nos últimos nove dias. A ONU calcula que pelo menos 245 mil pessoas fugiram da metade oeste de Mossul, onde cerca de 750 mil civis estariam reclusos nos bairros que os jihadistas ainda controlam.

A ofensiva na região começou em 19 de fevereiro, após Exército e polícia terem concluído em janeiro a conquista de todos os bairros ao leste do rio Tigre, que divide a cidade em duas. / REUTERS, EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.